expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
text-shadow:

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Lajedo de Pai Mateus - Cabaceiras - PB

Conhecido como a Roliúde Nordestina, o Lajedo de Pai Mateus é um dos destinos imperdíveis para quem visita a Paraíba, situado na pacata cidade de Cabaceiras situada no Cariri paraibano, a 190 km de João Pessoa e a 74 km de Campina Grande.

O letreiro na entrada da cidade revela ao visitante que ele chegou numa das cidades mais cinematográficas do Brasil.

Cabaceiras também é conhecida como o município que menos chove no Brasil, a economia principal do local é o bode, animal que é coroado numa das principais festas anuais da cidade, "Festa do Bode Rei", o artesanato feito do couro do bode é comercializado para o Brasil e o mundo. A culinária é bem diversificada e tudo está relacionado ao bode e para quem gosta ou se arrisca, vale a pena conferir a cachaça, conhecida como "xixi de bode"

Fomos muito bem acompanhados do senhor Mário, pai do Dyxklay e meu sogro, minha grande amiga Brígida, o nosso grande amigo Roberto e a pequena Kayane (que quase não saiu nas fotos).






Parada para fotos em frente a igrejinha da cidade.

 Pai e filho.

Em treinamento para as olimpíadas de 2020 no Japão!

 Grande amiga Brígida.


Da esquerda para a direita: Roberto, o famoso Senhor Cilas que foi figurante em um dos filmes gravados na cidade, seu Mário (pai do Dyxklay) e o Dyxklay.


O lajedo já foi cenário de 18 filmes brasileiros e um dos mais famosos é o Auto da Compadecida, cenário mantido ainda hoje, escrito e dirigido pelo paraibano Ariano Suassuna e uma novela da Rede Globo de televisão, Aquele Beijo, campanhas de modas e recentemente a banda mineira Skank gravou um clip no local.

Com aproximadamente 100 imensos blocos arredondados de pedras rochosas e exóticas, os blocos em formato de capacete contam com inscrições rupestres e outros vestígios de terem um dia sido habitados. Existem poucas regiões do mundo com características geológicas semelhantes e esta é considerada a mais bonita e intocada. 

Segundo a literatura, reza a lenda que um curandeiro habitava neste lajedo e muitas pessoas procuravam-no para consultar-se. Pai Mateus não cobrava dinheiro em troca de suas curas, apenas comida. O seu nome deu origem ao lajedo.









Pedra em formato de capacete é um dos principais cartões postais do lajedo.





Assistir ao  pôr do sol contemplando o Planalto da Borborema e ficar alguns minutos com olhos bem fechados, sentindo o vento que sopra no corpo e o silêncio, apenas escutando as batidas do coração. É magia e o encanto das pedras do Lajedo.









 




Chegamos por volta das 11hrs da manhã e almoçamos no Hotel Fazenda Pai Mateus que é uma típica casa de fazenda, que oferece uma deliciosa culinária nordestina, com chalés, piscina e uma ampla área externa para hóspedes e visitantes. Um ambiente rústico com redes e emm pleno contato com a natureza, pássaros, saguis e os bodes visitam o local e fazem a alegria de todos. E é lá onde os guias são contratados, está localizado na zona rural de Cabaceiras e tem a melhor estrutura da região. (83) 3356-1250.



Makenna Figueiredo

Fotos: Brígida Sales / Roberto Mendes/ Mario Alves/ Dyxklay Figueiredo 






15 comentários:

  1. Tô rindo até agora do Roliúdi! 😂😂😂😂😂
    Genial!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que quando cheguei lá e li o letreiro e vi que era verdade, dei boas risadas também.
      Muita criatividade não é?
      Beijos Camila!

      Excluir
  2. Assim como a Camila, adorei o "Roliúde"!
    hahahahaha
    Que lugar lindo, Makenna! Adorei o cenàrios com as pedras! Encantador!
    ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coisas de nordestinos, kkkkk.
      O lugar é realmente mágico Juliana.
      Um beijo!

      Excluir
  3. Estou completamente apaixona por essa fotos e pelo Jeep de vocês! Já fui a Cabaceiras quando era criança :)

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante a experiência de vocês. Fotos simplesmente sensacionais.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Muito bonita esta zona, nunca tinha ouvido falar. Quem sabe numa próxima vez pelo Brasil!

    ResponderExcluir
  7. Pertinho da minha terra <3 Ver essas fotos do chão árido me dá uma saudade danada de casa! Lindas fotos, lindo passeio!

    ResponderExcluir
  8. Adorei o post!
    E agora fiquei cheia de vontade de conhecer a Roliúde nordestina!
    Como nosso Brasil é lindo e cheio de surpresas e gente bacana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc gostou! Uma dica: vá em junho e vc aproveita e conhece o São João de Campina Grande.
      Um beijo Simone!

      Excluir