expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
text-shadow:

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Oktoberfest Blumenau

Inspirada na Oktoberfest de Munique, na Alemanha, a de Blumenau é hoje a terceira maior do mundo, logo atrás da de Munique e de uma outra no Canadá. 



"Um barril de chopp
É muito pouco pra nós...
Dois barris de choop
É muito pouco pra nós..."


Essa é uma das músicas que mais escutamos tocar na Oktoberfest e ela grudou na cabeça da gente. 

O parque Vila Germânica, especialmente no Oktoberfest, traz a Alemanha para o Brasil fazendo com que a cultura dos mais variados lugares se interagem de uma maneira super harmônica. A vila tem uma beleza particular e um encanto próprio. Vale a pena se render ao charme deste lugar e a alegria contagiante desta festa!




Já havíamos estado em Blumenau no ano passado, tínhamos conhecido a Vila Germânica ( local onde ocorre a Oktoberfest) e planejamos voltar esse ano com a intenção de conhecer a maior festa alemã do Brasil. Estávamos de férias e seguimos viagem para a 'Bela e Santa Catarina'.

Blumenau é uma cidade muito interessante, com características germânicas que vão da cultura, passando pela arquitetura e gastronomia. Juntar isso com um povo animado, uma super infra estrutura, muita música, comida e bebida boa, o sucesso é garantido! 




Chegamos na véspera do feriado (12 de outubro) por volta das 18hrs  e imaginamos que iriamos encontrar filas enormes e muita gente, mas foi muito tranquilo. Os ingressos custaram R$ 40 (cada) e não tem nada incluso. Ficamos até por volta da meia-noite e já notamos que começou a encher de gente, segundo informações era o dia "D" da festa. 

No dia seguinte que era feriado, chegamos cedo, por volta das 14hrs. O ingresso custou R$20 (cada). Toda consumação da festa entre bebida e comida, você deve comprar em fichas que são trocadas em cada barraca ou stand. As fichas são exatamente o que se consome, ou seja, antes de comprar você já deve decidir o que quer consumir detalhadamente (cerveja, chope comum, chope artesanal especial, determinado prato e doce, etc).Tem vários caixas e dependendo do horário, as filas aumentam. Uma das coisas que mais gostamos foi a cerveja artesanal sem álcool. E funciona assim: você compra a ficha, troca no bar e a cerveja é entregue em um copo de plástico. Garrafas de vidro não são usadas na festa, isso traz muita segurança para os foliões e visitantes.O chope de 400 ml custava R$ 7 (comum) e R$ 9 (cervejas especiais), a cerveja sem álcool custava R$ 5.






Para quem vai de roupa típica germânica (tanto homens e mulheres), é possível garantir meia entrada (que se aplica também a estudantes, professores, idosos, etc. Há inclusive uma fila separada para entrar para quem está vestido com roupa típica mas caso ela não esteja adequada aos critérios oficiais, você só entra se pagar então entrada completa (e não mais meia entrada).










Quem quer entrar no clima mas não quer comprar a roupa (tipo eu!), tem muitas lojinhas de souvenir dentro da vila que vendem lindas tiaras de flores de várias cores, modelos e preços. Para os meninos, tem chapéus e bonés. 





Para os casais com filhos, tem um parque de diversões no outro lado da vila e tem ligação através de uma passarela. Ou seja, você paga o ingresso pra vila e tem acesso livre para os dois complexos.

Mas vamos falar sobre a festa!

Que festão!!! Do tipo que atrai muita gente, mas muita mesma. O.ambiente é cheio de seguranças, brigadistas e policiais circulando todos os dias. Você só consegue ter a dimensão estando lá dentro. 

No parque tem três pavilhões enormes nos quais acontecem shows, disputa do chope, danças típicas. A música é tipica em português ou alemão. Não ouvimos nada da "modinha". A festa também é para famílias inteiras. Vimos crianças, adultos e idosos com roupas típicas a ser divertir. A parte gastronômica é bem diversificada, muito saborosa e as filas são enormes! As mesas são compartilhadas e muitas famílias ou casais acabam ocupando uma mesa que cabe 10 pessoas com apenas quatro, por exemplo e esse foi um dos pontos que achei negativo assim como nos banheiros que sempre tem filas e são poucos. Em nenhuma festa que já fui na vida vi um lugar com uma limpeza impecável como na vila, além dos diversos lixeiros espalhados, sempre tem alguém da equipe de limpeza fazendo um excelente trabalho durante todo o evento.












E sobre as músicas: são lindas, com coreografias muito engraçadas e fáceis de aprender, a interação das bandas com o público é muito legal, o ritmo, a letra você não entende nada mas sai da festa sabendo tudo, (kkkkk), boas cervejas e aquele povo bonito e bem trajado. Se tiver melhor, só pode ser em Munique mesmo! 

Outra coisa importante é que o perfil da festa muda, durante o dia é mais as famílias e a noite o público é mais jovem. 





Que sirva de exemplo, nunca fui em outro evento no Brasil tão bem organizado como a Oktober Blumenau. Desde família com suas crianças até beberrões profissionais, todos em paz convivendo no mesmo ambiente.


Makenna Figueiredo.

2 comentários:

  1. Adorei o post! Conheço Blumenau mas nunca fui na época da Oktoberfest. Tenho muitaaaaaaaa vontade! hahah.. Quem sabe um dia né? Obrigada pelas dicas e por um relato tão bem feito. =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, vale muito a pena, nem que seja só por um dia. Fico feliz em saber que vc gostou. Um beijo!

      Excluir