expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
text-shadow:

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Jericoacora

Bateu saudade, nostalgia, vontade de largar tudo e ir morar em Jeri! Não, não é exagero! É simplesmente assim que me sinto ao recordar a vila mais alto astral do Brasil!




Em dezembro de 2014 estivemos em Jeri, na continuação da nossa lua de mel. Saímos de Fortaleza e foram 300km de estrada, que é boa, asfaltada e quase sempre em linha reta, té o município de Jijoca (Jericoacoara não é município, é uma vila que pertence a Jijoca). A partir de Jijoca, começava a aventura: um trecho de 23km de areia e dunas, para isso é imprescindível usar um veículo 4X4. 

Uma das maneiras de chegar a Jeri é contratando um transfer no ato do planejamento da sua viagem. Não foi o nosso caso, já que estávamos viajando no nosso Troller, que é cearense e um excelente veículo para esse tipo de aventura.

Não tínhamos feito reserva, pois estávamos com o roteiro bastante flexível naquela ocasião e fomos escolher quando chegamos na vila. Os melhores hotéis com vista para o mar estavam lotados e optamos por uma pousada muito simpática, chamada Pousada Naquela, que está localizada a aproximadamente 400 metros da rua principal. Em Jeri tudo é muito perto. 



Jeri foi eleita pelo TripAdvisor, a vencedora da América do Sul do prêmio Travelers’ Choice Destinos em alta, e  garantiu a 3ª posição entre os melhores do mundo. E isso também não é exagero. Cavada entre enormes dunas e o mar, é um dos poucos lugares no Brasil onde é possível assistir ao sol nascer e se pôr no oceano, devido a sua localização peninsular.

Por ter sido declarada uma Área de Proteção Ambiental (APA) e, desde 2002, transformada em PARNA (Parque Nacional), a construção de rodovias e estradas – bem como qualquer tipo de pavimentação – é proibida em Jericoacoara. 

Jeri é um lugar para curtir e relaxar - sem pressa. Recomendo pelo menos seis dias na vila para fazer os passeios, curtir as praias, passear pelas ruas e becos e curtir a natureza. 

Fomos na época da estiagem, a Lagoa Azul e a Lagoa do Paraíso (aquela que tem as redes) estavam quase secas. O restaurante que está instalado no local estava desativado para reforma. Tinham umas redes, mas não quisemos arriscar, a água da lagoa estava muito suja. 






Duna do pôr do sol

Chegamos bem na hora do pôr do sol - uma coisa tão simples de se fazer e é um programão. Quando dá umas 17h, podemos ver a cidade toda se dirigindo para a duna. Faz parte de um ritual, ir para os passeios e finalizar assisitindo ao pôr-do-sol. Parecia um monte de formiguinhas subindo e a subida não era mole, não (colocando as perninhas pra trincar!). O vento é quase insuportável, mas vale muito a pena e não há vento no mundo que nos impeça de subir! Ali é um dos poucos pontos no mundo onde se consegue ver o sol se pôr no mar. E depois que o sol se põe, todos começam a bater palmas.















Pedra Furada

Um dos principais cartões postal de Jeri, fizemos o roteiro por cima do serrote pois a maré estava cheia e é uma trilha bem cascuda. Não indico irem sem guia ou GPS. Fomos sem os dois e ficamos perdidos em dois momentos, no meio do nada. Mas graças a Deus e conseguimos chegar na famosa Pedra Furada e usufruir de tamanha beleza.














Velha e Nova Tatajuba

Começamos por Mangue Seco que tem uma paisagem é bucólica, justamente por ser de mangue, com árvores secas e retorcidas. Tem uma opção de conhecer de perto os cavalos marinhos, uma experiência legal para quem nunca teve contato com os animais. Atravessamos numa pequena balsa (com o carro lotado de bagagem!) o Rio Camboa e o curiosa é que a travessia é manual. e seguimos em meio a um manguezal, dingo de filmes, até Camocim.








Uma antiga vila de pescadores que foi soterrada pelas dunas, por isso o nome de "Velha Tatajuba". Por causa das estiagens, a Lagoa da Torta também estava seca e os nativos improvisaram: trouxeram as instalações para a praia da Nova Tatajuba e colocaram as redes no mar, com uma barraca servindo refeições, bebidas, petiscos e o mais curioso, lá o cardápio é "ao vivo". O dono do estabelecimento traz o peixe ainda vivo e o turista escolhe qual quer saborear. Peculiaridades de um lugar mágico!







Contratamos um nativo que nos levou para fazer o melhor passeio para os aventureiros: a Duna do Funil. Do alto da duna, podemos ver a imensidão do paraíso. E li ficamos nos divertindo, subindo e descendo as dunas, curtindo o cenário que era só nosso!







Árvore da Preguiça

Uma árvore que não resistiu ao vento e é um dos cartões postal de Jeri. Localizada na Praia do Preá, é parada obrigatória e está no caminho para quem visita a Lagoa do Paraíso e a Lagoa Azul.









A vila

Depois desses passeios maravilhosos é curtir um pouco a vida noturna de Jeri. Uma noite bastante movimentada, com bares, restaurantes, forró, entre outras opções.Tem bastante gringo e muita gente bonita, alto astral.

No final da rua Principal, há várias barraquinhas de caipirinhas e drinks perto da praia. Balada em Jeri são lugares abertos com alguma banda tocando um forrózinho ao vivo. O mais famoso é o Forró da Dona Amélia, que fica na rua do Forró. Ficar sentado em um barzinho, apreciando o movimento e curtindo uma música ao vivo também é uma excelente opção. E tem os restaurantes mais reservados em diversos pontos da vila. 







Quero voltar! Como me teletransportar, gente???


Makenna Figueiredo




19 comentários:

  1. Quando fui em Fortaleza, desci até Canoa Quebrada, infelizmente não consegui conhecer Jericoacora, terei que voltar novamente para conhecer esse lugar maravilhoso.
    Parabéns pelo artigo, desejo muitas viagens em 2017! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. Canoa Quebrada é maravilhoso Luan, mas Jeri tem uma magia especial. Programe-se, vale muito a pena.
      Feliz 2017!

      Excluir
  2. Já estive em Fortaleza, mas ainda não conheci Jeri. Sou louca pra ir lá e adorei o post!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jeri é apaixonante Roberta!
      Obrigada pelo elogio.
      Feliz 2017!

      Excluir
  3. Jeri é um paraíso! Deve ser ótimo para descansar com a vista do mar!

    ResponderExcluir
  4. Jeri é um paraíso. Já estive lá duas vezes, bem antes de imaginar que teria um blog pra falar de viagens. Deu saudade de quando fui lá. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, quando fomos nem pensava em ter um blog.
      Sempre vale a pena voltar!
      Abraços!

      Excluir
  5. Jeri é tudo de bom!
    Fui lá já faz um bom tempo. Quem sabe uma hora eu volte!
    Abs, Marlise

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii Marlise!
      Queremos muito voltar também.
      Abraços!!!

      Excluir
  6. Sou doida pra ir pra Jeri, pelas suas fotos pareceu um paraíso MESMO, mais vontade ainda agora! Também queria a máquina de teletransporte, faz uma falta danada... Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Maria, queria muito me teletransportar nesse exato momento pra lá e levaria vc junto, haha!
      Abraços!!!

      Excluir
  7. Que delicia! Estou louca pra conhecer esse paraíso. Você arrasou no post! Ficou show.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!!
      Programe-se, tem uma magia incrível e muita beleza!

      Abraços!

      Excluir
  8. Que delicia de post! Que delicia Jeri.
    O Brasil é infinitamente lindo.

    ResponderExcluir
  9. Que lugar lindo!
    Cada vez que vejo post e fotos de Jeri, tenho vontade de ser teletransportada!
    ;)
    Bom 2017 para vcs!

    ResponderExcluir
  10. Adorei este artigo! parabéns pelo post e que 2017 lhe traga muitas viagens!

    ResponderExcluir
  11. Uau! Cada lugar lindo!! Beijos e feliz 2017!!

    ResponderExcluir