expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
text-shadow:

quinta-feira, 2 de março de 2017

Os quatro pontos extremos do Brasil

Diferentemente do que quase todo mundo pensa, o Brasil não vai do Oiapoque ao Chuí – mas do Caburaí, no estado de Roraima, ao Chuí, no Rio Grande do Sul. O verdadeiro extremo norte fica na divisa entre o Brasil,Venezuela e a Guiana, no alto do Monte Caburaí. 






Quem nos acompanha por aqui e em nossas redes sociais, sabe que nós temos uma certa aptidão por roteiros diferentes e adoramos aventuras. E porque não conhecer os quatro pontos extremos do Brasil? Foi dada a largada!

Em outubro de 2014, iniciamos essa maluquice pelo extremo leste, na capital da Paraíba em João Pessoa.

Fizemos o nosso segundo registro no ponto extremo Sul, no município de Chuí que faz divisa com o Uruguai.

Em outubro e novembro de 2015, seguimos viagem pelo centro-oeste e norte do país. Foi uma longa aventura até chegarmos a Mâncio Lima, extremo oeste do Brasil e está localizada no estado do Acre.

Nosso roteiro sofreu algumas alterações produtivas naquela viagem, cancelamos nossa ida ao Pantanal Sul e seguimos viagem pela lendária BR 319 no coração da Floresta Amazônica rumo a Manaus. Dias depois seguimos para Roraima e em poucos dias chegamos a Uiramutã, extremo norte do país.

Dentro do mesmo desafio, acrescentamos dois projetos: um é o quase finalizado "Capitais do Brasil" e o outro é bem maluco que se chama "Caça-prefeituras", onde visitamos os municípios e fotografamos a prefeitura municipal de cada um deles, como registro.

Três desafios, um só objetivo: visitar o Brasil de ponta a ponta.

Resumindo: fomos ao Chuí, no Rio Grande do Sul, a Uiramutã em Roraima cruzando assim o sul e o norte, a leste na Ponta dos Seixas em João Pessoa a oeste em Mâncio Lima no Acre.



Extremo leste - Ponta de Seixas em João Pessoa - Paraíba.
Foto: 26 de outubro de 2014.

O primeiro foi super fácil, eu ainda morava em Campina Grande e o fizemos na época que éramos noivos. Está representado pelo Farol do Cabo Branco situado na Praia Ponta do Seixas é um dos cartões postais da capital paraibana. A ponta do Seixas é o ponto mais oriental do continente americano e consequentemente da parte continental do Brasil.




Exatamente a ponta da praia de Ponta do Seixas


Extremo sul - Chuí - Rio Grande do Sul. 
Foto: 15 de junho de 2015.

O segundo ponto visitado foi uma viagem deliciosa ao sul do Brasil, trata-se de um pequeno curso de água no Rio Grande do Sul entre o Brasil e o Uruguai, em suia fronteira, conhecido como Arroio Chuí. O bom desse local é que encontramos uma placa de registro, conforme na foto abaixo. 


Arroio Chuí 

Prefeitura Municipal do Chuí - RS


Extremo oeste - Parque Nacional da Serra do Divisor (ou Contamana) - Acre
Foto: 20 de outubro de 2015

O ponto extremo do oeste é a nascente do Rio Moa, no Parque Nacional da Serra do Divisor, no Acre, fronteira  do Brasil com o Peru. Trata-se de um local com maior biodiversidade da região amazônica, a variedade de espécies se da pela área que esta localizada, uma região de transição entre as terras altas dos andes e as terras baixas da amazônia.

O acesso é apenas por barco e é necessário um planejamento antes, pois não tem infraestrutura de apoio turístico e por isso, não conseguimos fazê-lo. PortantoMâncio Lima é o município mais ao oeste do País e consideramos esse fato como maneira de concretizar ali nosso projeto. 

Rio Moa

Prefeitura Municipal de Mâncio Lima - Acre


Extremo norte - Uiramutã - Roraima. 
Foto: 04 de novembro de 2015.

O extremo norte está localizado no Monte Caburaí e o a sia base de acesso é o município de Uiramutã e é o mais setentrional do Brasil. Localizado a 310 km de Boa Vista, percorremos mais de 200 km até chegar na entrada do município e seguimos mais 80 km por uma estrada de barro, ingrime, com muitas curvas, pedras, pontes quebradas e sem sinalização alguma, dificulta o acesso, que fizemos em cerca de sete horas. É o município com maior população indígena do país e incluí em seu território além do Monte Caburaí, o Monte Roraima e fica no ponto tríplice da Venezuela e Guiana.


As serras e vales formam cenários naturais deslumbrantes.


Projeto concluído com sucesso, com muita poeira, muito frio ou muito calor, muita história, muitos perrengues, muitos quilômetros no Troller e uma sensação incrível em fazer o que poucos fazem, visitar os quatro pontos extremos do nosso Brasil!

Quem já foi?

Makenna e Dyxklay Figueiredo.


18 comentários:

  1. Vocês sempre arrasam nas aventuras. Adoro demais esse blog. Obrigada por mais um post incrível!

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post! Muito legal a aventura de vocês!
    Fiquei curiosa com esse projeto de Caça a prefeituras!! hahaha Como foi que surgiu essa ideia de fotografar na frente delas? Se eu te disser que nem sei onde fica a prefeitura da minha cidade, tu acredita? hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Surgiu como uma maneira de comprovar que já estivemos naquele lugar, assim como a foto no Palácio do Governo Estadual do projeto Capitais do Brasil.
      Maluquices de viajantes, hehe.
      Abraços.

      Excluir
  3. Que interessante esses contrastes! Destes, eu só conheço a Ponta do Seixas, na Paraiba, que com certeza é um belíssimo lugar. Não acho que eu iria conhecer os outros pessoalmente, mas foi muito legal vê-los num só lugar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paulo!
      Somos bem suspeitos ao falar de JP, é uma capital maravilhosa e a Makenna é paraibana.
      Que bom que vc gostou.
      Abraços.

      Excluir
  4. Nossa que legal conhecer os quatros extremos do Brasil, é só conheço um o de João Pessoa, falta conhecer os outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse Brasil é incrível!
      Ficamos feliz por vc ter gostado.
      Abraços.

      Excluir
  5. Gente, que demais! Adorei e fiquei com muita vontade de fazer isso também! Valeu pelas dicas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, estamos as ordens caso precise de mais dicas.
      Abraços!

      Excluir
  6. Gostei muito deste artigo porque sou uma apaixonado pela geografia! Tenho que fazer essa exepriência em Portugal, falta-me o ponto mais a Sul!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pedro!
      Que bom que vc gostou. Estamos planejando uma viagem a Portugal e pretendemos fazer o país todo de motorhome.
      Abraços.

      Excluir
  7. Sensacional o blog de vocês, adoro ler sobre destinos diferentes, e nisso já vi que vocês são craques. Parabéns pelo post, o Brasil é um gigante a espera de ser explorado.

    ResponderExcluir
  8. Olá pessoal, tudo bem?
    Parabéns por estarem conhecendo o nosso lindo país.
    É disso que precisamos mesmo, ou seja, de brasileiros que valorizem o seu próprio país, conhecendo-o, conversando com o seu povo e amando-o.
    Só algumas correções neste site:
    1-O ponto extremo Norte é o marco B/BG 11A de 2007, o qual fica no Monte Caburaí, município de Uiramutã-RR. Esta cidade está a cerca de 100 km de distância deste marco por uma trilha aberta na mata desde a aldeia Manalai;
    2-O ponto extremo Sul é o marco LCOM Sul, o qual fica em frente ao arroio Chuí, no município de Sta Vitória do Palmar-RS. A cidade do Chuí é a cidade mais ao sul, mas o ponto extremo não fica no município do Chuí;
    3-O ponto extremo Oeste é o marco 76, o qual fica na fronteira entre o Brasil e Peru, no PARNA Serra do Divisor, município de Mâncio Lima-AC. Este marco está a cerca de 270 km da cidade de Mâncio Lima, navegando-se pelo rio Môa;
    4-O ponto extremo Leste é um marquinho de alumínio em cima de umas pedras na ponta da praia do Seixas-PR. Não é o farol do Cabo Branco.

    Qualquer dúvida, procurem-me no e-mail leonardomeirelles09@gmail.com

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leonardo!
      Vamos as correções: 1- Eu citei em meu texto sobre o Monte Caburaí, só não sabia dessa aldeia Manalai.
      2- Em todas as nossas pesquisas sobre o extremo sul, aparece a cidade do Chuí e inclusive existe uma placa que corresponde a esse fato.
      3- Eu citei, em outras palavras sobre o marco que está na Serra do Divisor, fomos na cidade base que é Mâncio Lima, assim como fomos a Uiramutã. Foi tão difícil chegar nesses dois municípios de carro que consideremos os dois municípios como extremos.
      4- Essa plaquinha que você mencionou não existe mais, assim como o farol que deixará de existir futuramente. A erosão está destruindo aquele local e o nosso registro foi feito no ponto mais estratégico.

      Agradeço o seu comentário e esclarecimentos.

      Excluir
  9. Só mais duas correções:
    -O ponto extremo Norte está na fronteira do Brasil com a Guiana e a Venezuela não tem nada a ver com isso;
    -O ponto extremo Leste é na Paraíba, PB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando citei sobre a Venezuela, não me referi ao extremo norte e sim, ao Monte Roraíma, assim como citei o extremo leste sendo na Paraíba.

      Excluir