expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
text-shadow:

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Roteiro de cinco dias no Jalapão

Pouco explorado turisticamente por causa do seu difícil acesso, o Parque Estadual do Jalapão está localizado no leste do estado do Tocantins, reúne uma paisagem de dunas, rios, riachos, cachoeiras, fervedouros, chapadões com quase 800 metros de altura e a certeza de que é uma das maiores atrações naturais do Brasil.





Estivemos no Jalapão em junho de 2016, o Dyxklay já havia estado em duas outras oportunidades e me levou para conhecer um dos lugares mais inóspitos do Brasil. Não contratamos guia, seguimos apenas o roteiro de um amigo que havia ido em janeiro do mesmo ano, o conhecimento do Dyx, as placas de sinalização e as regras do nosso GPS. E claro, confiamos em nosso filhote bruto, o Troller.

Localizado a 379 km de Palmas, o município de Rio da Conceição é uma das portas de entrada do Jalapão (pouco conhecida e menos indicada) e foi exatamente onde começou a nossa aventura. Foram 48 km de estrada de terra até chegar na fantástica Cachoeira da Fumaça, que tem cerca de 20 metros de queda de altura e forma uma nuvem de água permanente. A ponte para seguir viagem estava quebrada em alguns trechos e não tivemos como atravessá-la para seguir a trilha e chegar na parte de baixo da cachoeira, onde é possível tomar banho por trás da sua queda. 




Primeiro dia:

Cachoeira da Fumaça, Cachoeira do Rio Soninho, Pedra Furada e Ponte Alta do Tocantins

  • Cachoeira da Fumaça : Fotografamos, lamentamos a possibilidade de usufruir daquela maravilha e principalmente, por não poder seguir os 23 km até a Cachoeira do Soninho. Resultado: voltamos os 48 km até o município de Almas, pegamos um pequeno trecho de asfalto e depois pegar outra estrada de barro. Demos uma volta de 158 km para finalmente chegar na Cachoeira do Rio Soninho. Vejam o estado da ponte e a beleza da cachoeira.
  • Taxa de visitação: voluntária, tem uma casa ao lado que mora uma família.

 Assim até que a ponte aparentava um bom estado...

...mas a realidade era essa!





  • Cachoeira do Rio Soninho: Duas horas de muita estrada de terra, pedras, costelinhas e costelões e algumas valas, a estrada piorou muito neste trecho, chegamos finalmente a Cachoeira do Soninho. Na parte do rio é bem rasinho e tem uns poços mais fundos. A água é limpinha e não é gelada. Me joguei e o Troller mereceu lavar os "pezinhos"
  • Taxa de visitação: Grátis!
Cachoeira do Rio Soninho

Cachoeira do Rio Soninho

  • Pedra Furada : Um imenso paredão de cor alaranjada que se contrasta com o azul do céu. Contemplamos o pôr do sol e seguimos viagem até  a Ponte Alta do Tocantins, que é a principal porta de entrada do Jalapão, e está localizada a 190 km de estrada asfaltada da capital, Palmas, disponibiliza de infraestrutura decente para um bom descanso. 
  • Taxa de visitação: Grátis!





Ao seguir pela estrada, caímos em um buraco, estávamos contra o sol e a visão foi prejudicada. Perdemos um bom tempo nesse local.





Onde comer: Não anotamos o nome do local, foi ao lado do único posto de gasolina da cidade.


Segundo dia:

Gruta de Sussuapara, Cachoeira da Velha, Rio Novo e Dunas e Mateiros

Depois de uma boa noite de sono e um bom café da manhã, saímos de Ponte Alta do Tocantins para mais um dia de aventura pelo Jalapão. Com o roteiro em mãos e dicas dos nativos que são sempre muito bem vindas, seguimos estrada afora.


  • Gruta de Sussuapara (ou Cânion de Sussuapara) : Situada a 15 km de Ponte Alta  lado direito da estrada (sentido Mateiros), tem uma placa indicando o acesso a atração. O Sussuapara é uma fenda de cerca de 25 metros de profundidade e é  um esconderijo no meio do cerrado. É preciso estar com calçados confortáveis para descer pelo barranco se apoiando e se equilibrando entre as raízes das árvores até chegar lá embaixo. O barulho das águas pingando formando um riacho, as pedras moldando o caminho, um feixe de luz iluminando o local,  as paredes do cânion cobertas pela vegetação tornam o cenário espetacular. É impressionando como num lugar tão árido como o Jalapão é possível um lugar tão úmido e tão lindo como aquele. É possível chegar até o final do cânion e se banhar na queda que está encravada na rocha e saborear uma ducha gelada. Faça silêncio e contemple!
  • Taxa de visitação: Grátis!



 Trilha que dá acesso a gruta.



  • Cachoeira da Velha : Localizada a 70 km de Ponte Alta (também sentido Mateiros) com acesso á esquerda. A estrada é puro cascalho, cheia de pedras. Estacionamos o carro e seguimos por uma passarela suspensa de madeira muito bem estruturada de aproximadamente 1 km até o mirante que fica em frente a fascinante cachoeira, que deveria chamar-se “Quedas do Jalapão” ou "Cataratas do Jalapão", pois é a maior da região com 100 metros de largura e mais de 15 de altura e não há quem não se impressione com seu barulho e sua beleza. Existe uma estrutura para acampamento mas nos pareceu abandonada, ficamos sem entender e esquecemos de perguntar como funciona. Por questões de segurança, não é aconselhável tomar banho na cachoeira.






  • Praia do Rio Novo : Que tal uma praia de água potável, doce, corrente e cristalina, onde não se vê  um único rastro de ser humano na areia branquinha e fina e cercada de matas por todos os lados? Parece que estávamos descobrindo algo que ninguém nunca pisou! Já que não podemos entrar na Cachoeira da Velha curtimos a prainha que ela forma.  Os vários tons de verde da água, com o marrom da areia molhada e o branco da areia se misturam a vegetação. E o tempo todo fomos perseguidos por centenas de peixinhos! Eu queria virar hippie e morar para sempre ali! O local disponibiliza de banheiros e vestiários.
  • Taxa de visitação: R$ 15 por pessoa, para ambas atrações, porém, estávamos sozinhos e não tinha ninguém para receber...





  • As dunas douradas do Jalapão :  Na entrada tem uma casa (recepção) que gerencia o parque. A visitação é controlada e só pode ser feita até as 18h. Uma bela visão de 360 graus da região: de um lado a Serra do Espírito Santo que devido a erosão, levam areias e formam as dunas – que estão em constante movimento - e do outro a extensão do cerrado escandalosamente maravilhosas! Assistir ao pôr do sol do alto das dunas é um espetáculo único, pois é nesse momento em que elas ficam ainda mais douradas, contrastando com o azul do céu. A areia é fina e limpa, dá vontade de sair rolando. Foram centenas de fotos que merecem um post exclusivo.  Ficamos lá até o sol se pôr finalmente. É de uma plenitude e singeleza inenarráveis, é preciso ir para sentir. 
  • Contribuição voluntária







Nosso destino final foi Mateiros, que é onde se concentra a maior quantidade de atrativos e está a 160 km de Ponte Alta,.

Onde descansar: Pousada dos Buritis
Onde comer: Restaurante da dona Rosa e apreciem a melhor comida caseira da vida!


Terceiro dia

Pedra da baliza, Cachoeira da Formiga e Fervedouro do Ceiça


  • Pedra da Baliza : Trata-se de uma pedra em forma de taça no meio da planura do cerrado, que tem esse nome porque foi historicamente usada como divisa entre Bahia, Tocantins, Maranhão e Piauí (na verdade os dois últimos ficam um pouco mais ao norte), segundo o GPS. Há uma grande concentração de cobras no local, segundo informações, mas as bichinhas felizmente não apareceram durante a nossa visita.
  • Visitação grátis!





  • Cachoeira da Formiga : Uma queda modesta a água é cristalina e até a espuma é azul! Há uma pequena plataforma de madeira para acessar a água, a correnteza é forte e o poço é fundo que após o contorno do rio, a correnteza some e fica uma parte bem tranquila de beleza surreal. Para quem tem experiência dá para subir pela cachoeira e dar um mergulho.  Nos refrescamos do calor exaustante nas límpidas águas, de temperatura super agradável e na piscina natural formada pela queda d´água. Em meio a árvores, faz jus ao ditado  “sombra e água fresca”. É ideal para passar o dia inteiro. Tem um camping, banheiros, um bar de moradores locais e serve refeição, mas é necessário reservar com antecedência (como tudo no Jalapão). O uso da máscara de mergulho é indispensável  para poder aproveitar melhor a transparência da água.
  • Taxa da visitação: R$ 15 por pessoa




  • Fervedouro do Ceiça : Um fenômeno do local, conhecido como Fervedouro. Trata-se de uma nascente de um rio subterrâneo, que brota com tanta força, que é impossível afundar ali. Um poço com águas transparentes que é cercado por bananeiras e uma densa vegetação e com fundo de areia branca. Muito refrescante, mas nada de afundar. Flutuamos e curtimos aquele momento mágico, estávamos novamente sozinhos e fizemos muitas fotos e brincamos com os peixinhos.
  • Taxa da visitação: R$ 10 por pessoa







Quarto dia:
Fervedouro do Buritizinho e Povoado de Mumbuca

  • Fervedouro do Buritizinho : Passamos a maior parte do dia no Fervedouro do Buritizinho, Foi o melhor dia do passeio, pois fizemos bons amigos. Na nossa opinião é o mais lindo. Tem uma plataforma de madeira com uma cobertura e até uns banquinhos para apoiar os objetos. Parece uma piscina de tão azul. A água é infinitamente transparente e é pequeno comparado aos demais.  E o melhor, só éramos nós no local. Ou seja “o fervedouro é nosso!”Fica numa propriedade particular, onde servem almoço e tem um bar de apoio. Nos fundos, tem um rio com água super gelada.
  • Taxa da visitação: R$ 10 por pessoa.







  • Povoado de Mumbuca (Capim Dourado) : Essa atração é para os consumistas de plantão, que assim como eu, adoram artesanato. Numa área de reconhecimento de Território Quilombola é uma associação que mantem uma loja com peças produzidas pelos moradores da comunidade, que foi onde surgiu o artesanato em capim dourado cuja brilho reflete no Tocantins, no Brasil e no mundo inteiro. É alquimia divina, transformando o capim, a seda do buriti, as sementes das vegetação como um todo em obras de arte. As crianças nos recebem cantando a música da colheita do artesanato e é de encher os olhos d’água. O pagamento é feito APENAS em dinheiro.


O céu do Jalapão é surreal! Uma infinidade de estrelas tornando o cenário ainda mais lindo e agradecendo a Deus pela oportunidade de viver uma experiência tão incrível naquele lugar. Um verdadeiro espetáculo celestial




Quinto e último dia:

São Félix do Tocantins e Palmas

Prepare-se! Será um dia intenso de viagem.

Partindo de Mateiros pela TO- 255, passando por São Feliz do Tocantins, encontramos no máximo cinco veículos naquele dia, Isso é bastante comum naquela região.. 

Nesse trecho, a estrada também estava muito ruim, consideramos a pior parte percorrida. As costelinhas de vaca se multiplicaram. Nós e o Troller não parava de sacudir. Por isso, é imprescindível trafegar no Jalapão em veículos 4X4 e com guias, para evitar sustos. No entanto, aprecie a paisagem.




Foram 143 km até Novo Acordo onde finalmente, começou o asfalto e mais 100 km até Palmas, que totalizaram 12 horas de estrada.

Levem dinheiro em espécie, usem roupas leves, não economizem no repelente e nem no protetor solar. Usem sempre chapéus, um calçado confortável para andar pelas trilhas e uma sandália de borracha. Esqueçam os celulares e um pouco da vaidade, seus cabelos e sua pele irão adorar a pureza das águas do Jalapão!

Uma aura misteriosa cerca o Jalapão. Talvez pelo seu difícil acesso. Para muitos é um mito. Para outros, a realização de um sonho.



Makenna e Dyxklay Figueiredo

14 comentários:

  1. uau!! Eu sou doida pra conhecer o Jalapão e ainda não tive oportunidade..... Adorei o roteiro e vou deixar registrado aqui pra minha ida!!

    ResponderExcluir
  2. Esse post foi feito para mim e minha super vontade de conhecer o estado e os fervedouros . Desde que vi fotos de la ha 2 anos, so sonho em ir. Espero que seja para esse ano. Consegue me dar uma ideia de orçamento para uma semana ?

    ResponderExcluir
  3. Eita gente, que aventura hein?! Adorei, e tenho vontade de conhecer Jalapão, mas confesso que preciso amadurecer essa ideia, por conta do acesso mesmo! (Fiquei passada com o estado da pontezinha kkk)

    ResponderExcluir
  4. Eita casal aventureiro rs
    Uma foto mais linda que a outra, o lugar parece sensacional. Mas looonge, ne? Tocantins... ta aí um estado que ainda não visitei.
    Nossa, ia me apaixonar por essa loja de capim dourado rs e por esse ceu inacreditável de tanta estrela. Ah, e claro, por essas aguas limpinhas e 100% natureza... ou seja, por tudo ne? hahahaha

    ResponderExcluir
  5. Adoreii esse post!! estou doida para conhecer o Jalapão, adorei as dicas e os preços dos atrativos naturais hehe.. Esse fervedouro é lindo demais, não vejo a hora de conhecer. Obrigada por compartilhar com a gente bjss

    ResponderExcluir
  6. Jalapão é um dos lugares que nunca tinha ouvido falar, mas após ver algumas fotos no Instagram, fiquei com muita vontade de conhecer! Mas nossa, não imaginava que o local fosse tão grandioso assim! Adorei as dicas, fotos lindas! Quem sabe um dia conheço esse paraíso!

    ResponderExcluir
  7. Que passeio incrivel. Parabens pelo post. Cachoeiras, Dunas, Trilhas. Irado!

    ResponderExcluir
  8. Que passeio incrivel. Parabens pelo post. Irado.

    ResponderExcluir
  9. Que roteiro! Super completo sobre Jalapão. Adorei saber que tem muito o que ver no destino. E que fotos lindas! Parabéns :)

    ResponderExcluir
  10. Me explica o segredo dessa foto do céu estrelado... que maravilhoso!!!! Sempre quis tirar uma assim ahahaha que lugar incrível Jalapão, a cor da água e a natureza, tudo lindo. Quero conhecer!!

    ResponderExcluir
  11. Que lugar incrível! Este destino tem uma natureza que surpreende mesmo, espero poder conhecer em breve. Gostei bastante dos fervedouros, eles parecem uma piscina com essa água transparente. Obrigado pelo relato completo e pelas dicas!

    ResponderExcluir
  12. Que lugar maravilhoso! Pouco se fala sobre o Jalapão... não sei porque, o lugar é incrível! Tenho pesquisado sobre ele ultimamente e cada dia fico mais apaixonada! Os fervedouros são muito bonitos mesmo! ps: ainda bem que o filho é bruto, porque essas estradas... Senhor! haha

    ResponderExcluir
  13. Ameei esse post! Já tinha pensado em ir pro Jalapão e quase ia agora em maio, já vou salvar nos favoritos porque está super completo, parabéns!!

    ResponderExcluir
  14. jalapão já tem um tempo que está em meu roteiro, mas essa viagem nunca decola. excelentes dicas. e que foto do céu foi aquela? maravilhosa.

    ResponderExcluir