expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
text-shadow:

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Roteiro das Missões no Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul vai muito além da badalada Serra Gaúcha. Quando planejamos nossa viagem de volta ao estado gaúcho, a primeira opção da lista do nosso roteiro era percorrer a Região das Missões Jesuíticas. A opção ideal para quem desejar misturar história e cultura brasileiras numa viagem de carro.


As estradas são belíssimas. Plantações por todos os lados, é preciso ter cuidado ao voltante para não se distrair ao contemplar aquele terreno ondulado em tons de verde, amarelo e marrom. A cruz missioneira que começamos a encontrar pelo caminhos nos davam as boas vindas a Região das Missões.


No lado brasileiro, foram construídas sete reduções, que ficaram conhecidas como Sete Povos das Missões. E são as ruínas os principais atrativos do chamado Região das Missões. Tudo pode ser conhecido em pouco tempo, entre três e cinco dias, já que as cidades e as atrações são próximas umas das outras. 

Santo Ângelo

Localizada a 450 km de Porto Alegre, a maior cidade da rota é Santo Ângelo é por isso é conhecida como "Capital das Missões". O maior destaque da cidade é a Catedral Angelopolitana. Em estilo neoclássico, erguida em arenito, foi construída entre 1929 e 1971. Dentro do templo encontra-se uma estátua missionária em madeira (original), que representa o Cristo morto. Está localizada bem no centro histórico, em frente a Praça Pinheiro Machado onde também visitamos o Memorial Coluna Prestes.


São Miguel das Missões


Localizada a 60 km de Santo Ângelo, as ruínas da redução de São Miguel Arcanjo são consideradas Patrimônio da Humanidade pela UNESCO  e Patrimônio Cultural da Humanidade, o único lugar no Brasil com esse título. A ruína da Igreja de São Miguel das Missões é a melhor conservada dos Sete Povos e é o cartão postal principal da Região das Missões. 

Logo na entrada do município, um belo pórtico com escrita em guarani - CO YVY OGUERECO YARA, que significa "está terra tem dono". O céu nublado, as estátuas em preto, o asfalto marrom, cor predominante da terra da região, nos deram as boas vindas e já nos preparavam para a magia e história que o local nos proporciona viver e sentir. 


Assim que chegamos, fomos agraciados com momentos ímpares. O primeiro deles foi ao chegar  nas ruínas de São Miguel e encontrá-la vazia! Só éramos nós dois, alguns guardas,  a sinfonia do canto dos pássaros que arrepiou até a alma. Em seguida, vimos uma coruja cochilando na grama, elas são símbolo da região, encontramos muitas outras por todos os lugares. E, quando estávamos de saída, uma espécie rara de tucano de bico amarelo, posou na cruz missioneira. Tudo no mesmo dia, na mesma tarde, no mesmo lugar. História, magia, encantamento, emoção, natureza. Gratidão pela oportunidade de ter vivido um momento sublime como aquele. 





Na manhã seguinte, contratamos uma guia local e mergulhamos na história há séculos atrás, que nos indicou como funcionava a vida no vilarejo que foi construído ao redor da Igreja, a praça, as escolas, o cemitério e nos relatou toda a saga dos índios guaranis, e acabaram destruídas por causa das guerras. Uma manhã de chuva e foi incrível ouvir aqueles relatos e ver as ruínas por um outro ângulo. E estava novamente vazia.




A noite, de terça a domingo, acontece no Sítio Arqueológico de São Miguel, o  Espetáculo Som e Luz que narra a saga dos padres jesuítas que instalaram as sete colônias, o trabalho dedicado dos índios guaranis, a construção da igreja e a batalha entre os índios e as cortes portuguesas e espanholas, para tomarem as terras dos seus donos. Muita emoção, beleza, história e magia. Vale muito a pena!


Horário de Visitação no Sitio Arqueológico : 9hs ás 12hs - 14hs às 18hs, de terça a domingo.
Segundas: a partir das 16h.

Valor do ingresso: Adulto: R$ 5,00/ Crianças e estudantes: R$ 2,50/ Idosos acima de 60 anos não paga.

Espetáculo Som e Luz: de terça a domingo, as 20h.
Valor do ingresso: Adultos: R$ 25,00/ Estudantes e adultos acima de 60 anos:R$ 10,00
O ingresso é vendido uma hora antes do início do espetáculo.

Santuário do Caaró

Localizado a 25km de São Miguel, no município de Caibaté, está o Santuário do Caaró. É considerado o local onde dois, dos três padres mártires, o padre Roque Gonzales e o padre Afonso Rodrigues foram mortos pelos índios em 1628. É um lugar lindo, com estrutura que lembra quermesse, com muitas árvores, bancos e o principal atrativo as fontes onde muitos vão buscar água com poder curativo. 


 Mar amarelo: linda plantação de girassóis em Caibaté


São João Batista

Localizada em Entre-Ijuís, o sítio arqueológico de São João Batista é considerado a 6ª Redução Jesuíta.  Pedaços da igreja e do colégio ainda estão de pé. Um cemitério ao lado, cria um clima sombrio ao local. Um monumento em pedra feito em homenagem ao padre Antônio Sepp, que foi fundador da redução está em meio ao grande gramado verde.





Horário de Visitação no Sitio Arqueológico : 9hs ás 12hs - 14hs às 18hs, de terça a domingo.
Localidade de São João Velho, o sitio encontra-se a 19 km do centro de Entre-Ijuís, 14 km - percorridos pela BR 285 direção leste/oeste e a 6 km por estrada de terra.
Entrada gratuita.

São Lourenço Mártir 

A redução também está localizada em estrada de terra (6km) e pertence ao município de São Luiz Gonzaga. Caminhando pelo amplo gramado, observamos umas ovelhas da raça missioneira descansando embaixo das árvores, que é uma das características do local. As árvores que ajudam as ruínas a permanecerem de pé, emolduram a parede da igreja e foram uma cena deslumbrante.  

No município de São Luiz Gonzaga, não há vestígios arqueológicos e na Praça da Matriz, em frente a Prefeitura Municipal, há uma monumento em homenagem ao índio Sepé Tiariaju que nasceu na redução e foi um dos líderes da Guerra Guaranítica e liderou uma rebelião contra o Tratado de Madri.






Horário de Visitação no Sitio Arqueológico : 9hs ás 12hs - 14hs às 18hs, de terça a domingo.
BR-285 | a 30km do centro de São Luiz Gonzaga
Entrada gratuita


São Nicolau do Piratini

As ruínas declaradas Patrimônio Nacional, ficam no meio da cidade. Não é uma área cercada, portanto, a visita pode ser feita a qualquer hora. Restaram o cabildo, pedaços do piso original, da igreja. Não é uma visita imperdível, mas fizemos questão de fazê-la para comprovar o que as nossas fontes de pesquisa nos disseram. 

Duas outras obras com material de redução foram tombadas como Patrimônio Histórico e Cultural do RS. Uma delas é a Casa de Pedra que fica em frente ao sítio arqueológico e a outra é o Sobrado da Família Silva, que não fotografamos por causa de uma chuva intensa que caia naquele dia, já estava anoitecendo e tínhamos que percorrer 97 km até São Miguel, onde estávamos hospedados.





Casa de Pedra

São Borja

Conhecida por ser o local da 1ª Redução Jesuítica dos Sete Povos das Missões, São Borja é a outra ponta do roteiro, próxima ao Rio Uruguai a fronteira com a Argentina. São Borja foi o primeiro vilarejo da região, o mais antigo do Rio Grande do Sul e um dos mais antigos do Brasil. O município gaúcho também tem fama nacional por ser terra natal de dois ex-presidentes: Getúlio Vargas e João Goulart - ambos possuem museus dedicados a sua história. Assim como em São Luiz, não existem vestígios arqueológicos na cidade. O ponto turístico de interesse é o Museu Missionário onde abriga estátuas do período das reduções e teM um rico acervo, ficando atrás apenas de São Miguel das Missões. Era domingo e o museu estava fechado. Oi turismo? 



Ponto de Memória Missoneira

Em São Miguel, não deixe de conhecer o Ponto de Memória. Trata-se de um museu muito simples com um acervo super interessante, que torna muito sentido a tudo que foi visto anteriormente. Fomos guiados pelo sr. Valter Braga, nativo, idealizador, dono e colecionador de peças da história e memória da região. Ele nos deu uma bela aula enquanto nos mostrava os objetos que foi juntando com o passar do tempo. Um momento extremamente especial na visita é a cerimônia da erva mate, onde ele, que é um dos rezadores da cidade, reproduz o ritual realizados pelos índios. Recomendo!




Outras dicas: 

Optamos em nos hospedar em São Miguel e escolhemos o melhor hotel da cidade, o Tenondé Park Hotel que além de nos proporcionar uma excelente acomodação, tem uma bela área de lazer e um restaurante próprio. Depois de um de de muito calor e de vários passeios, nada melhor do que ter tudo no mesmo lugar.

Naquela viagem, fomos em nosso carro de passeio, pois o Troller estava com uns problemas que não foram possíveis de consertar a tempo, e, em São Miguel, contratamos em uma agência o guia e os passeios para as ruínas de São João Batista e São Lourenço Mártir, pois os acessos são em estrada de terra. Seu Antônio, dono da agência, nos convidou a futuramente conhecer as atrações dos países vizinhos, Argentina e Paraguai, que junto com o município gaúcho, integram o Circuito Internacional das Missões Jesuíticas. Uruguai e Bolívia também reúnem atrativos relacionados a colonização dos missionários. 

Agência: Missões Turismo
Maiores informações: Portal das Missões 


A magia de um lugar

É uma viagem que vale a pena, uma aula de história ao ar livre. Cada ruína tem a sua magia, o seu ar bucólico e sua característica própria. Se você, caro leitor, se interessa por esse tipo de assunto, faça um favor a sua alma: visite as ruínas, principalmente, as de São Miguel das Missões e assista ao Espetáculo Soim e Luz. Sem mais. Só vendo e vivendo para sentir!

Um beijo!

Makenna Figueiredo

30 comentários:

  1. Nunca tinha ouvido falar nesse lugar, pareceu muito interessante! quanto tempo você acha bom para ficar ai e conhecer bem? adorei saber sobre esse lugar

    ResponderExcluir
  2. Que pena não saber desse lugar quando fiz minha road trip pelo sul em outubro de 2017, adorei principalmente São Miguel das Missões pelo seu relato da magia do lugar e da história também...como eu amei o sul, com certeza vou voltar e colocar essa cidade no roteiro. 3 dias eu consigo conhecer tudo o que você descreveu no post?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi!
      O Sul tem muita coisa para conhecer e essa região ainda é pouco conhecida.
      Três dias é o suficiente para conhecer todas a atrações.
      Abraços.

      Excluir
  3. Que belas construções, fiquei bem impressionada! Qual época do ano vocÊ acha que vale a pena fazer esse roteiro? Em quantos dias dá para conhecer bem o local?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Raquel!
      Fomos na primavera e ainda assim pegamos uma manhã de chuva. Essa região chove muito, então indico primavera ou verão mesmo e três ou quatro dias dá pra conhecer todas as atrações.
      Abraços.

      Excluir
  4. Nossa, já tinha ouvido falar de alguns passeios assim em Foz, mas não conhecia no Rio Grande do Sul. Fantástico! Você mencionou que alguns trechos são de terra, mas acha viável fazer em carro alugado ou o trajeto fica complicado? Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thiago.
      Se você for num período sem chuvas, dá pra fazer em carro alugado sim. Nós só alugamos o passeio porque estávamos com o Civic que é muito baixo.
      Abraços.

      Excluir
  5. Que legal essa viagem, Makenna! Imagino a surpresa de chegar nas ruínas e encontra-las vazias. Os clicks dos pássaros foram perfeitos! Parabéns. Ainda não conheço essa parte do sul, mas curti essa dica!

    ResponderExcluir
  6. Eu fiquei encantada em acompanhar essa trip pelo Instagram e amei saber os detalhes agora.Lindas as ruínas e com acesso muiot tranquilo. Sempre quis entrar numa plantação de girassol, vc sabe se é aberto ao público?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os girassóis ficam em
      uma propriedade particular mas é aberta ao público. Mas tem que ir na época certa, que infelizmente não sei qual é. Abraços.

      Excluir
  7. Não tinha ideia do quanto seria interessante esse roteiro das missões! Só conheço a Serra Gaúcha. Fiquei com vontade de conhecer essa história ao ar livre! Deve ser realmente mágico. Parabéns pelo roteiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse nosso país é uma surpresa. O Sul nos fascina, conhecemos quase todas as regiões. Que bom que vc gostou. Um abraço.

      Excluir
  8. Esse ano ainda quero fazer um road trip, acompanhei essa trip pelo insta. Essas ruínas respira histórias e beleza né? quero incluir no meu roteirinho. O sul em especial tem suas particularidades únicas. Sou apaixonada por girassois, fiquei babando nesse marzao amarelo. linda foto! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viajar pelo sul de carro é a melhor opção! Qualquer dica pode nos falar, já fomos muitas vezes e conhecemos muito bem o estado. Um beijo!

      Excluir
  9. Primeira vez que leio sobre este lugar. Adorei!! Obrigada pelas dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Estamos surpresos como poucas pessoas conhecem esse lugar. Obrigado pela visita.

      Excluir
  10. Nossa, eu moro aqui do ladinho, estou direto em RS e não fazia nem ideia desse roteiro. Só ruinas lindas, lugares belos e rico em história. Vou prestar mais atenção nesse caminho :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angela, é normal. Não costumamos fazer turismo perto de onde moramos. Vai sim, vc vai adorar!

      Excluir
  11. Que lindo o seu roteiro! Espero um dia poder fazer esse passeio e já vou usar o seu artigo como base para me orientar. Obrigado por compartilhar! Abs

    ResponderExcluir
  12. Que fotos lindas! E estou aqui morrendo de vergonha por ser gaúcha e não conhecer nada disso. Talvez esse post seja o empurrão que estava faltando!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh... Não acredito!
      Estamos visitando todos os municípios do RS, esse estado nos encanta!
      Vai conhecer, vc vai se surpreender!
      Abraços.

      Excluir
  13. Amei o roteiro, as dicas e as fotos maravilhosas! Cada lugar mais lindo do que o outro. Já quero fazer esse roteiro.

    ResponderExcluir
  14. Que paisagens incríveis. Essas ruínas e campo de girassóis �� lindo demais. Nunca tinha estudando falar desse lugar antes acredita?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Composição perfeita, Giulia.
      Acredito, foi a mensagem que mais recebemos sobre esse post.
      Abraços.

      Excluir
  15. Seu post me transmitiu uma paz, parece ser um roteiro muito gostoso, bateu uma vontade de ir... Missão cumprida, né?

    ResponderExcluir
  16. Que viagem diferente, nãõ conhecia este roteiro. Muito bom post, adorei os pontos que foram visitados e como você os descreveu - Edson

    ResponderExcluir