expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
text-shadow:

terça-feira, 6 de março de 2018

Conheça Prudentópolis: a terra das cachoeiras gigantes

Se você, caro leitor, for fã de água e aventura assim como nós, sem meias palavras vou te dizer: você precisa conhecer Prudentópolis. Um destino cheio de cachoeiras lindas e grandes, ou melhor, gigantes!


Prude fica cerca de 200 km de Curitiba, e o acesso até a cidade é bem fácil pela BR-277 (o trecho tem pedágios) caso saia da capital paranaense. 
É aquela típica cidade de interior, que possui uma praça central com uma igreja, onde os moradores se reúnem nos finais da tarde. Não há muitas opções de hospedagem, mas possui pequenos hotéis e pousadas próximos ao centro, e para os mais exigentes, um hotel fazenda um pouco afastado da cidade que vem a ser uma ótima opção para uma família com crianças.
Colonizada por ucranianos, em Prudentópolis você encontra portais e símbolos de suas origens. O artesanato é colorido, em especial os ovos pintados à mão que são símbolo da vida e prosperidade, chamados de pêssankas. 




A região possui fazendas e armazéns que vendem frios e embutidos como salames e queijos, mas em especial a cracóvia, um salame exclusivo da cidade que mistura pernil e lombo suíno com temperos diversos. Garanto que você ficou com água na boca! Tem que comer, vale muito a pena!

Agora que já fiz a minha maldade do dia deixando vocês com água na boca, vamos ao que mais interessa: as cachoeiras!

Se você quiser conhecer as cachoeiras de Prudentópolis, vou logo avisando: reserve uns três dias. Muitas delas estão em propriedades particulares e é cobrado uma pequena taxa de contribuição. E prepare os pulmões para respirar ar puro: ao redor das cachoeiras, a mata é quase virgem, intacta. Pura natureza! 

Estivemos em novembro de 2017 e por sorte, tinha chovido muito naquele período e elas estavam com um volume de água intenso. Tão intenso ao ponto de que sequer tivemos a oportunidade de nos banharmos. Foi pura contemplação. Até mesmo o nosso guia, o Robson, ficou surpreso com a quantidade de água que encontramos naquela dia. Em alguns momentos ele soltava a expressão: "Nossa, quanta água", impressionado.

A estrada é de chão batido e o ideal é ir em um veículo 4x4. Talvez um carro pequeno dê conta do recado, porém, se você não quiser ter problemas futuros ou até mesmo para fazer o trajeto mais rápido, sugiro contratar o passeio na cidade. Existem agências especializadas na cidade que fazem esse trabalho com excelência. Algumas cachoeiras tem o acesso mais complicado, recomendo contratar um guia.

E por existirem quedas e rios, naturalmente tem empresas que realizam rafting, rapel e outros esportes radicais.

Segue então um resumo de algumas dicas das cachoeiras  que conhecemos em Prudentópolis:
Salto Manduri

Com 100 metros de largura e 34 de altura, o Salto Manduri é o mais baixinho da cidade mas impressiona pela sua largura. Fica a 12 km da cidade. Fica dentro de um clube particular que estava desativado na época em que estivemos por lá. Sua largura lembra um pouco as Cataratas do Iguaçu.

Salto Manduri

Salto Barão do Rio Branco

Prepare as perninhas para descer 478 degraus de uma escadaria de metal até a sua base. São 64 metros de altura e um visual de tirar o  fôlego. O volume do rio estava tão alto que mesmo estando tão distantes, ficamos molhados. 

Salto Barão do Rio Branco
.
Salto Sete

Com 77 metros de altura, o Salto Sete fica dentro da propriedade da Pousada Salto Sete  (que é onde indicamos hospedagem) é muito charmosa, com chalés, restaurante e um clima bastante aconchegante. Certamente será o local onde ficaremos hospedados numa próxima visita a Prude. E o melhor, pertinho da cachoeira!

 Salto Sete 

Salto Sete

Salto São João

São 84 metros de exuberância que admiramos por um bom tempo através de um mirante e nos permite a visão panorâmica do cãnion. Quando estivemos em Prude, estava sendo construído um Centro de Visitantes no local, com uma excelente infraestrutura de banheiros, água potável, estacionamento e balcão de informações. Foi lá inclusive onde paramos para fazer um lanche.

Salto São João

Salto São João



Centro de Visitantes (estava em construção)

Entre uma cachoeira e outra, visitamos algumas igrejas e destacamos a mais bela de todas: a Igreja de São Josafat. Com sua cúpula característica da colonização ucaniana e sua beleza singular, é tombada como Patrimônio Artístico e Cultural do Paraná.

Igreja de São Josafat


Salto São Sebastião e Salto Mlot (ou Salto Gêmeos)

São duas quedas de mais de 100 metros que ficam uma em frente à outra na base. Foi impressionante! Tanto que o Dyxklay esqueceu de fazer a foto panorâmica com as duas beldades.Para chegar mais perto de uma das cachoeiras, percorremos uma trilha estreita até a sua queda com um volume de água absurdo e  3 cachorros que eram guias malucos e ficavam correndo o tempo todo nos assustaram um pouco. Eles eram da propriedade.  Tirando esse medinho de cair ali, no precipício, foi sensacional!

 Salto Mlot 

 Salto São Sebastião

Uma pequena demonstração de como são lindos, um de frente ao outro!



Salto São Francisco

Todas as cachoeiras que vimos antes, foram apenas uma prévia para o maior espetáculo, o Salto São Francisco com 196 metros de altura, sendo assim, o maior salto da região Sul do Brasil. Está localizado dentro do Parque Municipal São Francisco da Esperança,  não é cobrada a entrada e poucos metros depois (ou antes, depende por onde você comece) o Salto dos Cavalheiros, que foi a minha última esperança de me refrescar naquele dia. Passei o tempo inteiro perguntando ao Robson onde poderíamos tomar banho e por causa do intenso volume de água, ele me prometeu que no  Cavalheiros isso seria possível. E finalizamos nosso roteiro molhando apenas os pezinhos.

Salto São Francisco

 Salto dos Cavalheiros



RDTUR - Essa foi a agência que nos atendeu. O Robson que é um dos sócios foi nosso guia. Eles disponibilizam de roteiros completos com transporte, alimentação, hospedagem e transfer e funciona como agências de viagens com roteiros diversos pelo mundo.
Telefone: (41) 99670-0800 / 99995-3365
Email: contanto@rdtur.tur.br
Facebook RDTUR


Selfie com o nosso guia, o Robson.

Por causa do excesso de água nos rios e cachoeiras, não conhecemos o Ninho do Corvo, que é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) que é bastante procurado para fazer rapel, tirolesa e a corvolesa, uma tirolesa exclusiva que termina em uma banho de cachoeira.  Por isso, vomos ter que voltar, mas você pode incluir na sua lista.
Por fim, não custar lembrar de algumas recomendações básicas:
> Os trajetos até as propriedades podem demorar um pouco, e lá existem muitas trilhas e acessos que não são tão simples, então para quem tem crianças muito pequenas eu não recomendo, mas nada como ir com crianças mais velhas e adolescentes, que geralmente tem espírito de aventura de sobra e disposição (se os pais são assim também, não é)?
> Protetor solar, repelente, água, chapéu ou boné, tênis e roupa confortável… né?
> Se puder visitar no calor, melhor, ainda é uma região alta e um pouco fria no inverno, e fica melhor de aproveitar toda a água. Ainda assim, vale a pena em qualquer época do ano.




Um beijo!!!

Makenna Figueiredo.









Crédito: Arqui

16 comentários:

  1. Gente que achadoooooooo! Amei amei amei! Preciso conhecer esse lugar! Que isso... Minha cara, obrigada obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por nada, ficamos felizes em saber que vc gostou tanto assim!

      Excluir
  2. Realmente tem cachoeira aí para dar e vender!! Hahahah Não nego, fiquei com água na boca lendo sobre a cracóvia (amo embutidos!!). Outra coisa, descer 478 degraus é mole, difícil é subir depois! Kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Subimos contando os degraus, sempre fazemos isso! O visual compensa!
      Abraços, Manu!

      Excluir
  3. To chocada!! Nunca tinha ouvido falar.... É lindo, encantador, maravilhoso rsrs. E na verdade se não é tão longe de Curitiba, nem deve ser muito difícil ir de São Paulo... Vou colocar no mapa pra dar uma checada. Adorei a sua intimidade com o lugar rsrs, Prude!! Enfim... mas nada como dar uma pesquisada em cachoeiras e cair num post lindo desses!! Já está entrando na minha lista de lugares a visitar, right now!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também ficamos chocados com esse "achado".
      Olhei para vc, dá 605,6 km via BR 373.
      Prude... Quando vc for também vai voltar chamando assim, carinhosamente!
      Abraços Liany!

      Excluir
  4. Nossa, já fui tantas e tantas vezes pra Curitiba que estou me sentindo meio envergonhado de não conhecer esse lugar. Como foi que você descobriu isso?? A cidade parece ser uma graça, adoro cidades pequenas e aconchegantes assim, e as cachoeiras não preciso nem falar né. Quantos dias vocês recomendam pra conseguir conhecer tudo? Tem cachoeira de acesso só com trilha também ou todas elas chegamos facilmente com o 4x4? Vocês foram por agora né, no verão? Por isso tava com tanta água... você sabe quando o volume diminui um pouco mas ainda dá pra aproveitar sem estar tão frio? Desculpa a encheção de pergunta rs mas realmente me interessei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wagner! Ficamos super felizes em saber que vc se interessou de verdade em conhecer Prude. Nós também fomos a Curitiba dezenas de vezes e descobrimos esse lugar quando chegamos em Ponta Grossa e ficamos sabendo que o parque de lá estava fechado. Abrimos o mapa, pegamos o número da primeira agência que vimos e seguimos para lá.

      Recomendamos 4 dias para você passear com tranquilidade. Quando fomos era primavera (novembro 2017) e as chuvas em excesso chegaram inesperadamente.

      As trilhas que fizemos foram apenas para apreciação e se quiser tomar banho nas cachoeiras, tem que descer por trilha, mas nada com nível difícil. Quanto ao volume de água, vou ficar te devendo essa informação e sugiro que vc entre em contato com a RDTUR para ter dados mais precisos quando vc planejar ir.

      E por favor, nos conte como foi essa viagem!
      Um abraço.

      Excluir
  5. Adorei a foto do Salto São João, com as araucárias na frente! O Salto São Francisco deve ser de tirar o fôlego. Eu sou paranaense e não conheço Prudentópolis ainda... Preciso viajar mais dentro do meu estado! Pra ser sincera eu nunca procurei pelas belezas naturais do meu estado, sempre dando mais atenção aos outros... preciso corrigir isso! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu estado tem muita beleza, temos uma listinha de lugares lindos e pouco conhecidos no Paraná e iremos fazer aos poucos. Abraços.

      Excluir
  6. São tantas belezas naturais em nosso país né? Ecoturismo é um dos tipos de viagem que mais curtimos e, por isso, amamos a leitura desse post. São tantas quedas belíssimas que chega a ser quase impossível escolher a melhor, mas pelas fotos acho que fico com a de São Francisco que lembra bastante o Parque do Caracol na Serra Gaúcha. Além disso, a arquitetura ucraniana da Igreja de Josafat é simplesmente fabulosa, lembrando muito o que encontramos no Leste Europeu. Obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse nosso país é uma riqueza! Nos surpreendemos a cada viagem que fazemos por ele. Obrigada pelo comentário motivante. Um abraço.

      Excluir
  7. Confesso que comecei a ler o post meio sem acreditar, mas foi surgir a primeira cachoeira... é... Você tinha razão, são cachoeiras gigantes, haha! De fato um belo de um espetáculo esse Salto do São Francisco. Não tinha ouvido falar e agora já até quero visitar. Valeu pelas dicas!

    ResponderExcluir
  8. Não fazia ideia de que essa cidade existia, juro! Preciso conhecer mais o Paraná. Gostei bastante de saber que da para reservar o passeio na cidade mesmo, facilita muito pra quem não quer ter dor de cabeça com dirigir e tal! O salto sete pra mim é a mais linda! amei!

    ResponderExcluir
  9. EEE Brasilzão surpreendente né? quanto mais penso em explorar vejo que essa lista vai só aumentando rs.. quando for para Curitiba vou esticar a viagem.. Fique impressionada com a grandeza das cachus, e cachu do Salto São Francisco parece a cascata do Caracol em Canela, que coisa mais linda. Adorei o post bjs

    ResponderExcluir
  10. Já gostei na primeira frase: fã de água e aventura.
    Todinha eu! Já ouvi falar de Prudentópolis, mas não sabia que tinha tanta coisa por lá.
    Valeu demais por compartilhar esse achado! Tá na listaaaa
    Beijão!

    ResponderExcluir