expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
text-shadow:

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Atenção ao responder pesquisas em viagens


Perrengues em viagem? Sim. Quem nunca? Eles nos moldam, nos encorajam, nos ensinam. Nos inspiram a viajar mais e agir diferente. Planos nem sempre dão certo e é preciso ficar atento a certos detalhes que muitas vezes podem trazer sérias consequências.



Primeiramente, por questão de privacidade, não irei mencionar o nome do lugar onde tudo aconteceu. Irei usar a tradução do  alfabeto grego com um asterisco (*) para sinalizar os lugares e assim, facilitar a leitura e compreensão de vocês. 

Há alguns anos vamos a cidade ALFA* e ficamos sempre na mesma pousada BETA* que é uma das melhores da região, lá nos sentimos em casa. A mesma é administrada por familiares, que nos recebem com muito carinho e atenção e tudo é monitorado por eles nos mínimos detalhes, o que a faz ser perfeita para nós e os demais hóspedes que tem o prazer de desfrutar de todo aconchego que é proporcionado.

No ano passado, voltamos aquela cidade e optamos ficar quatro noites. Chegamos numa segunda e na sexta, seguiríamos viagem. Na terça, fomos ao ponto turístico GAMA* e no momento em que estávamos de saída, fomos abordados por uma pesquisa de satisfação sobre a cidade, que se transformou em um convite para conhecermos um resort que estava sendo construído e em troca, ganharíamos uma cortesia num restaurante ou em um ponto turístico determinado por eles. Não aceitamos, primeiro porque esse tipo de "brinde" não nos interessa, segundo, por não querer perder tempo em passar duas horas assistindo um vídeo sobre um empreendimento que não tem relevância alguma para nós.

A moça insistiu muito e foram feitas perguntas tipo “vocês vão embora quando e onde estão hospedados” e "qual o modelo do veículo que estão viajando". A proposta era a seguinte:  irmos ao local da tal apresentação na van deles, deixando o nosso carro estacionado no GAMA*, depois, nos trariam de volta. Aquilo começou a não fazer sentido. Foi quando veio a pior pergunta de todas: "qual era a nossa renda". O Dyxklay nesse momento se aborreceu, achamos as perguntas abusivas e fomos embora, não fazia sentido algum perder mais um minuto do nosso preciosos tempo com aquela pesquisa.

Na quarta à noite, conversamos e optamos em seguir viagem na quinta-feira pela manhã e não mais na sexta, como havíamos planejado. Essa é uma das grandes vantagens em viajar sem reserva e com um roteiro flexível.

Assim fizemos. Seguimos viagem por 600km até ÔMEGA*, que inclusive era em outro estado, chegando lá no final da tarde da quinta-feira.

Na sexta pela manhã, como de costume, fomos passear. O Dyxklay esqueceu o celular carregando no hotel e o meu eu deixei carregando no carro. Por volta do meio dia, quando peguei o celular, haviam 12 chamadas perdidas e eu retornei. Era da pousada BETA*  e o recepcionista foi logo relatando que desde cedo tentava falar comigo, perguntando se estávamos bem e contando o que aconteceu.

Um cara ligou para a pousada se passando pelo Dyxklay, falando que havíamos sofrido um acidente em um município vizinho a cidade ALFA*que havia esquecido de renovar o seguro, precisava de R$ 1.500,00 para liberar o seguro e não tinha como fazer essa transferência porque não havia sinal de internet. A negociação foi feita com a dona da pousada e ela depositou o dinheiro.

Pouco tempo depois, ligaram e pediram mais R$ 3.000,00 e fizeram uma reserva de 5 noites na pousada, porque eu precisava de repouso e era o tempo necessário para o carro ser consertado. Foi quando eles começaram a desconfiar que se tratava de um golpe.

Felizmente, eu liguei enquanto essa negociação estava sendo realizada e o dinheiro não foi depositado. Todos eles estavam desesperados por não conseguirem falar conosco durante tantas horas.

A nossa suspeita é a tal pesquisa de informação que citamos acima. Havíamos mencionado seguirmos viagem na sexta e antecipamos. Eu havia postado fotos no Instagran como se ainda estivesse na cidade ALFA*. Como a maioria das nossas viagens dentro e fora do Brasil são feitas de carro, tenho muito cuidado em não postar onde ficamos hospedados, assim como os restaurante que frequentamos. Não é a nossa intenção fazer divulgação gratuita de nenhum estabelecimento e também para preservar a nossa intimidade. Posto fotos, muitas. E muitas vezes não são em tempo real. Ou seja, naquele momento, há mais de 24 horas que tínhamos seguido viagem e estávamos inclusive, em outro estado.

O ocorrido mexeu com o nosso psicológico. Naquele resto de dia, só me passava pela cabeça o quão mau o ser humano pode ser. Nós ali, de férias, gozando do fruto do nosso trabalho e fazendo uma das coisas que mais gostamos que é viajar e do outro lado, pessoas honestas que tem uma empresa idônea sendo tão vítimas quanto nós dois.

Eu ficava pensando que algo pior poderia acontecer. Nosso veículo é rastreado, o Dyxklay nunca deixou de renovar o seguro. O carro é a nossa segunda casa e está sempre em perfeitas condições para usufruirmos do nosso lazer. Nada daquilo que foi feito fazia sentido e ficamos com muito medo. Seguimos viagem no dia seguinte, tínhamos três dias de férias e por precaução, cancelamos o final do nosso roteiro e fomos para casa. Outro detalhe que nos preocupava era o fato de não estarmos no Troller e sim em nosso outro carro de passeio que não é 4X4. É um carro "comum", preto, sedan, fácil de ser roubado, escondido. Esse é um dos motivos pelos quais o Troller tem tantas cores e adesivos. Intimida um pouco a quem tem intenções maldosas por ser um carro praticamente exclusivo.

Passei um tempo sem postar nas redes sociais e pensei em acabar inclusive com o blog. Meditei muito sobre até onde valia a pena essa exposição. Todavia, eu precisava contar as pessoas sobre o que aconteceu, alertar sobre o ocorrido e ser direta ao ponto de dizer : NÃO RESPONDAM A PESQUISAS DE SATISFAÇÃO, pode ser uma furada!

Existem sim empresas super confiáveis. Mas como saber? Na dúvida, melhor não responder.

Dias depois, conversando com um grupo de amigos, ficamos sabendo que outras pessoas que também estiveram na cidade ALFA* e foram abordados no mesmo local que nós, pela mesma pesquisa, foram ao estabelecimento assistir ao tal vídeo e fizeram sacanagem com eles, queriam vender cotas do resort e não os deixaram ir embora. Como o cara havia deixado o carro no local e ido na van deles, se irritou com a situação a qual foi exposto, pegou um táxi e foi embora. Não quis saber de voucher, de brinde, de nada.

Espero que ninguém passe por essa aflição que nós passamos. Seremos eternamente gratos pela generosidade, amizade, carinho e preocupação que toda a família da pousada tiveram conosco. Continuaremos indicando e nos hospedando lá. Eles foram as maiores vítimas dessa história maldita. Passaram pelo perrengue de não conseguir contato, de não saber o meu estado, a perda do sossego e financeira.

Esse incidente ocorreu em meados de novembro de 2017 e só hoje, início de abril de 2018 é que consegui escrever. E desejo que não aconteça com ninguém e para isso, fiquem atentos. Sempre fomos tão cuidadosos e atentos e naquela vez, vacilamos. Deixo aqui registrado a nossa experiência.



Abraços.

Makenna Figueiredo.



34 comentários:

  1. Nossa gente, nunca tinha ouvido falar disso! Que doidera!! Precisamos mesmo ficar atentos, porque por mais que sejamos esperto e prestemos atenção, uma cilada dessa tá aí pra qualquer um.... Obrigada pelo toque!

    ResponderExcluir
  2. Makenna, primeiro, fico grata a Deus que tudo deu certo no final. E imagino o desespero dos donos da Pousada e também tudo o que isso refletiu em vocês. Felizmente os "danos" foram só financeiros, mas a experiência traumática ainda fica um tempo. Mas vai passar. Sobre pesquisas, dificilmente respondo alguma, principalmente quando me abordam na rua, nuca vi com bons olhos isso, desde que, em Porto Alegre, lá nos anos 90, andando pela Rua da Praia uma promotora me parou e fez perguntas, aparentemente inofensivas. Ao cabo de 3 semanas um cartão de crédito chegou em casa, já desbloqueado, de uma loja!!! Levei quase 5 anos entre audiências até conseguir ficar livre de uma dívida que não fiz! O que fica pós sofrimento é o ensinamento, para que não caiamos mais numa rede de bandidagem dessas. Desejo muitas e boas viagens a vocês, cheias de boas experiências, por esse mundo afora! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras de apoio. Foi bem difícil. Na verdade, o post não traduz metade do nosso sofrimento. Mas estamos aqui, prontos para continuar viajando! Um forte abraço!!!

      Excluir
  3. Nossa, vocês passaram por um perigo e tanto! Eu já fui abordada por alguns "pesquisadores" que perguntam sobre a satisfação com determinado serviço ou ponto turístico e respondi. Mas perguntas pessoais como as que foram feitas, realmente, não devem ser respondidas, pois nunca se sabe qual o objetivo e lisura de quem está fazendo a pesquisa. Obrigada por nos alertar compartilhando sua experiência!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior foram as perguntas pessoais. Muita insistência, foi bem chato isso também. Obrigada pelo carinho e pela mensagem! Abraços Suzy!

      Excluir
  4. Nossa, nunca tinha ouvido uma história dessas... bom saber. Eu já fui convidado para conhecer resort em troca de uma cortesia assim na rua e tal, mas não tive problemas, fora que com certeza não responderia a questões quanto a renda, veículo ou algo pessoal em qq pesquisa. Com certeza acharia estranho e nunca iria a lugar nenhum no carro de outro deixando o meu parado em outro lugar... Vale muito o alerta pq as pessoas as vezes não pensam em como tem gente ruim maquinando como sacanear os outros nesse mundo, tanto no Brasil como fora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é bem complicado, Tiago. Ficar atento é super importante, foi uma situação extremamente delicada. Obrigada pela mensagem! Abraços.

      Excluir
  5. Post muito relevante! Tenho certeza que será útil a muitas pessoas. Pesquisas de satisfação são complicadas, mas não imaginava em tamanho estelionato. Que bom que foi só um susto e que ninguém teve prejuízo. Temos que estar sempre atentos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O prejuízo existiu, mas foi apenas material. Estelionato é a palavra certa, cara Anna. Obrigada pela visita! Abraços.

      Excluir
  6. Nossa, eu lembro de você contando isso no Instagram durante a viagem. Que triste isso tudo. Eu nunca pensaria numa maldade desse tamanho também e certamente teria respondido. A gente precisa estar sempre muito esperto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, desanimei muito naquela época, mas passou. Eles sabem como chegar nas pessoas. fica a lição! Abraços.

      Excluir
  7. Fiquei bege, como existem pessoas maldosas nesse mundo, não? Ficarei atenta a qualquer pesquisa. Nossa última viagem abordaram a gente mais ou menos com mesmo assunto, que perigo. Mas ainda bem que depois ficou tudo bem né? obrigada por compartilhar, super relevante esse post bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo cuidado é pouco, Mari. Corremos esse perigo em qualquer lugar. Que bom que você gostou. Um abraço.

      Excluir
  8. Que história essa!!! Fiquei impressionada! Ainda bem que tudo ficou bem no final! Agradeço por vc compartilhar essa história para que a gente possa ter mais cuidado, pois jamais iria imaginar que isso poderia acontecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém nunca imagina, um simples questionário... Fico contente em saber que vc gostou. Abraços.

      Excluir
  9. Estou chocado com essa história! Que sufoco vcs e os donos da pousada passaram! Eu nunca confiei muito nestas pesquisas brindes e agora, então, que não confio mesmo! Furada na certa! E serve de alerta para termos mais cuidado mesmo ao se expor em tempo real! Mas desistam do blog por causa deste incidente! É um projeto de vcs que não merece acabar por conta da má fé alheia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi nisso que pensei, no nosso projeto. Não iremos desistir, apenas ter mais cuidado. E responder pesquisas, nunca mais!

      Excluir
  10. Poxa, que péssimo isso que aconteceu com vocês. Muito obrigada por fazer esse relato para avisar a outros viajantes!

    ResponderExcluir
  11. olhaaaa, fiquei curiosa pra saber qual foi a cidade... realmente nao estamos seguros em nenhum lugar, precisamos ficar atentos a qualquer movimento. Seja no Brasil ou exterior!! lamentavel mesmo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me envia um email, um inbox no insta ou no face que te conto onde foi. Atenção é item de primeira viagem agora! Abraços.

      Excluir
  12. Excelente relato! Sempre é bom fazer esse tipo de relato para deixar todos atentos. Viajar é uma experiência maravilhosa, mas precisamos ficar atentos. Curiosa para saber o nome da cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me envia um email ou faz contato pelo insta ou face que te digo onde foi... Um abraço.

      Excluir
  13. Excelente relato!!e isto que para mim um bom blog necessita ter, experiencias vivas..Viajar e fantastico, mas temos de andar sempre atentos!!

    ResponderExcluir
  14. Esse é o tipo de situação que deve mesmo ser divulgada e compartilhada para que sirva de alerta para outras pessoas. Fomos abordados uma vez em Buenos Aires na porta de um mercado. Pediram até o número do cartão de crédito. Meu marido logo desconfiou; era algo assim também com resorts, vídeos e tal. Os vouchers estavam vencidos. Eu confesso, que não desconfiei, pois a era uma menina, muito nova, a pesquisadora. Fato é que a gente nunca pensa que a maldade vai nos alcançar, mas alcança. Você está certa: melhor mesmo, na dúvida, não responder.

    Eu também penso muito sobre a exposição nas redes sociais. Só posto sobre hospedagens, por exemplo, quando já não estou no local, tento não postar nada em tempo real. Tenho receio às vezes do blog, pois por mais que tente ser discreta, pelos textos sempre dá para conhecer um pouco dos viajantes né?! Fiquemos atentos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles usam as pessoas certas para cometar as fraudes. Escreve em teu blog essa experiência, o que achas?
      A maneira que escrevemos, os lugares que visitamos, dá pra ter uma ideia sim, de como é o nosso perfil. Todo cuidado é pouco!

      Um abraço, Analuiza!

      Excluir
  15. Que perigo... uma pena existir pessoas com más intenções ao redor do mundo, temos que ficar sempre atentos. Que coisa! Obrigado pelo relato.

    ResponderExcluir
  16. Minha nossa, que perigo, infelizmente existem muita gente maldosa e devemos ter atenção redobrada nas viagens. obrigada pelo relato.

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. wow! Que situação chata! Infelizmente a gente tem que ser bem precavido com muitas coisas simples né? Quem diria que uma simples pesquisa de satisfação te traria um aborrecimento destes!

    Bom, obrigado pela dica, relatos assim são importantíssimos para a gente não cair nestes golpes

    Um abraço!

    ResponderExcluir