expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>
text-shadow:

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Os Moais da Ilha de Páscoa

Moai é o nome que designa cada uma das 887 estátuas gigantescas de pedra espalhadas pela Ilha de Páscoa, no Chile, construídas entre 1250 e 1500 pelo povo Rapanui. Os moais pesam até 80 toneladas e alguns deles estão posicionados a mais de 20 km de distância de onde foram modelados.



Além de Moais 🗿, o que mais tem na Ilha de Páscoa? Tem lindas praias, moai🗿, vulcão, moai novamente🗿, cavernas, moai🗿, museu e por fim moai🗿...

Brincadeiras à parte, fiz uma seleção do que visitamos  o que considerei mais interessante. Estas gigantescas estátuas de pedra vulcânicas, de 1 a 10 metros de altura e pesando até 80 toneladas, espalham-se por todo o perímetro da ilha e são praticamente o último legado de um povo cuja escrita e cultura praticamente desapareceram. Como foram construídas e qual sua função são questões que provocam debates acalorados. Contemplá-las, por outro lado, desperta a introspecção do visitante, que inicia sua apaixonada busca por uma resposta.

Dirigir pela ilha é bastante tranquilo, são poucas vias e todas bem sinalizadas, a quilometragem máxima é de 50km.. Devido ao isolamento geográfico, o clima é bem instável. A chuva pode vir de repente, mas logo vai embora. Atenção com os cavalos selvagens, eles stão por todos os lados, portanto, tenha cautela. 

Abaixo, segue o mapa para que vocês possam entender como é a ilha e onde estão localizadas as atrações.




Atenção: Na Ilha de Páscoa existe um grande desejo de preservação arqueológica. Não é possível tocar em nada. Existe uma barra de proteção para evitar o contato com os moais. Respeite.


Vinapu

Em matéria de Moai, o local não tem muito para apresentar. Mas a visita se torna imperdível a partir do momento que é possível observar um dos únicos Moai femininos da Ilha. Além disso, nesse local encontra-se a parede com as pedras encaixadas no estilo inca de Cusco. O que nos levanta questionamentos sobre quem aprendeu com quem, ou se foi apenas coincidência. 



Vulcão Rano Raraku - a fábrica de Moais

Durante muitos anos, o Vulcão Rano Raraku funcionou como a fábrica de Moais e também é conhecido como "a pedra mãe". Aqui, foram talhados centenas de Moais que estão espalhados pela Ilha. Esse é um dos locais que só pode ser visitado uma vez e é o local onde exsite uma grande concentração de Moais e onde está a cratera do vulcão, que é bem bonita. A partir do momento que seu passaporte for carimbado, você não poderá mais voltar no sítio. Aproveite a visita. 

O passeio é dividido em duas partes, ambas com trilhas bem pequenas. A primeira que percorremos nos levou ao local onde os Moais eram esculpidos e a cratera do Vulcão Rano Raraku

Pedra Mãe/ Vulcão Rano Rraku

A segunda trilha tem Moais por todo o caminho e leva a um mirante onde vimos uma das mais belas vistas da Ilha, com destaque para os Moais do Ahu Tongariki.




Ahu Tongariki


Ahu Tongariki

Foi o lugar favorito do Dyxklay e estivemos lá 3 vezes.  O Ahu (plataforma) possui 15 moais de grandes proporções e muito preservados. A vista é sem dúvida encantadora, e traz grandes reflexões sobre o povo que originou esse monumento. É visita obrigatória é são os mais bonitos da Ilha. Um dos guias que conhecemos nos relatou que é o lugar mais bonito para assitir o nascer do sol, nos meses de novembro a março. Os dias estavam muito nublados e sempre amanhecia chovendo, não tivemos sorte.

Ahu Tongariki


Moai Viajante


O moai localizado na entrada de Tongariki foi enviado para o Japão em 1982 onde ficou em exposição nas feiras de Tóquio e Osaka, como reconhecimento pelo apoio do governo do país na restauração do Ahu Tongariki. Por causa dessa jornada ao continente asiático, a estátua ficou conhecida como "o Moai Viajante". Alguém se identifica com ele? Senti vontade de abraçar esse amiguinho!

Moai Viajante


Ahu Akivi


Foi o primeiro altar a ser restaurado, com 7 Moais em pé e os únicos que estão de frente pro mar.  Uma das teorias é que seriam a representação dos sete exploradores de Hiva, que foram enviados pelo rei Hotu Matua à Rapa Nui, isto justificaria a posição, olhando para o mar, quando todos demais Ahus da ilha tem seus moai posicionados de costas para o mar. Foi a única foto que conseguimos fazer, apesar do céu azul, caiu um temporal em seguida e fomos embora correndo. 

Ahu Akivi


Puna Pau

Nesse local, onde existe um dos vulcões inativos da Ilha é onde se extraíram as pedras e se começava a produção dos pukaos (os "chapéus" vermelhos que ficavam acima dos moais). Pela beleza do local e pela incrível riqueza histórica, a visita é obrigatória. É impressionante observar vários pukaos em diferentes estágios de produção, além de poder ver o local marcado pela extração das rochas avermelhadas.  Nessa foto espontânea, me senti como proteção de tela do Windows XP. Haha! E olha o meu tamanho perto dos pukoes, minha gente!





Te Pito Kura (Umbigo do Mundo)

É um sítio arqueológico bem interessante, porque além do maior moai que chegou a ser instalado, "Paro", com dez metros de altura e 74 toneladas. No entanto, assim como a maior parte dos moais que foram instalados, este não chegou a ser levantado ou restaurado (está quebrado ao meio). O "umbigo do mundo" é a pedra redonda, cercada de quatro outras, dentro de um muro circular de pedras, representando os pontos cardianais, que é considerada sagrada, é dai que vem o nome "Umbigo do Mundo", apelido que se dá à ilha. Para aqueles que pensam em por a mão nela, no mas, está proibido após a ocorrência de vandalismo. Uma decisão excelente: é um sítio arqueológico, composto de elementos históricos, não um santuário religioso.


Te Pito Kura 9o maior moai)

O umbigo do mundo



Anakena


Não minha gente, não escrevi meu nome errado, mas adorei o nome parecido! Anakena tem um valor histórico muito importante por ser tido como o lugar por onde chegaram os primeiros habitantes da ilha. É um paraíso escondido, com uma pequena faixa de areias brancas, coqueiros trazidos do Taiti, mar em tons de turquesa e moais. Um lugar bastante aprazível e deve ser ainda mais no verão, falarei mais sobre ela no próximo post. Era tanta ventania, que revezamos a entrada no mar para que o outro "tomasse conta" dos pertences. Doidera né?

Anakena

Ahu Nau Nau  com sete moais sendo quatro com pukao (chapéu), um moai sem pukao e dois incompletos, todos de costas para o oceano.

Ahu Nau Nau

Ahu Ature Huke, um único moai e foi um dos primeiros a ser levantado e restaurado. O pesquisador Théo Heyerdahi demorou nove dias fazendo testespara provar que com o uso de madeira, o moais poderiam ser movidos e posicionados pelos Rapanui há muitos séculos atrás. O que não tem exlicação até hoje é como eles transportavam por vários quilômetros desde o Vulcão Rano Raraku. 

Ahu Ature Huke

Tahai

Depois de um dia inteiro de andanças pela Ilha, esse é o lugar para apreciar o pôr do sol e fica bem próximo ao centrinho de Hanga Hoa. No local, há três plataformas principais: Ahu Ko Te Riku, um moai enigmático e bem conservado que fica em uma plataforma individual, possui um pukao e grandes olhos brancos feitos de conchas; Ahu Tahai, que dá nome ao local, outro moai sozinho em um altar, um pouco mais desgastado pelo tempo e Ahu Vai Ure, um ahu com 5 moais. O ideal é chegar um pouco mais cedo, sentar-se na grama e apreciar.

Ahu Ko Te Riku

Ahu Tahai
Ahu Vai Ure

Hanga Kio'e

Um dos moais menos badalados da Ilha, fica um pouco depois do Tahai e no mesmo caminho das Cavernas de Ana Kakenga (que falarei no próximo post). Ficamos parados observando sua imponência, imaginando como foi transportado, os locais escolhidos para erguê-los. É a magia, encanto e mistério da Ilha de Páscoa.



Todas as atrações estão sinalizadas com placas como essa da foto acima. Na grande maioria, existe uma 'portaria' onde você apresenta o ticket (válido por 10 dias) e recebe o carimbo com o nome do local. Conforme expliquei no post anterior, Rano Raraku e Orongo só podem ser visitados apenas uma vez, as demais atrações são ilimitadas. 

Prepare-se para andar. A maioria das atrações ficam distantes do estacionamento, nesse quesito a sinalização torna-se um pouco precária. São caminhadas medidas por 15, 20 ou mais minutos a pé e não por metros. Mas não desista, vale cada centrímetro percorrido. Para quem aluga bicicleta, em alguns sítíos podem seguir com elas, mas tem pedra pra tudo que é lado e acaba não sendo uma tarefa fácil.

Água, protetor solar e chapéu ou boné são itens indispensáveis. Os únicos lugares onde são possíveis compar água e alimentos é na vila de Hanga Roa e na praia de Anakena, nenhum outro local da Ilha há quiosques para comprar água, por exemplo.

Algumas visões simplesmente modificam nossa maneira de encarar o mundo. Os moais da Ilha de Páscoa são uma delas. Quem leu os meus posts anteriores, percebe o quão fascinante foi essa experiência para mim e espero mostrar um pouco disso aqui, para vocês.


Abraços!

10 comentários:

  1. Confesso que quando estava no aeroporto de Santiago e vi vários voos para a Ilha de Pascoa, me bateu um enorme arrependimento de não ter planejado minha ida a essa ilha do Mundo. Vendo o post de vocês, o arrependimento me pegou novamente. Preciso muito conhecer esse local. O Moai que se encontra em Santiago, na parte litorânea já me despertou verdadeira adoração, imagina uma ilha só deles, rs! A princípio qual o tamanho da ilha? existe estrada ou tudo é feito a pé? O Moai Viajante com certeza é o meu preferido, rs. Adorei o post e as fotos, tudo favoritado, para quando eu tiver a oportunidade de conhecer esse local mágico do Mundo.

    ResponderExcluir
  2. Acho a história dos moais fantástica e é muito impressionante ver obras tão robustas que foram construídas há séculos, sem qualquer tipo de tecnologia ou engenharia moderna.

    ResponderExcluir
  3. eu só consigo ficar pensando como carregar esses moais... como eles conseguiram trazer o viajante do Japão? Lugar encantador, eu não conheço e adorei saber mais sobre a ilha!

    ResponderExcluir
  4. eu sou louca para conhecer a Ilha de Pascoa, já devorei seus posts todos aqui! Imagino que deva ser uma experiencia surreal, e uma energia quase palpavel!!! Amo esses lugares assim =D

    ResponderExcluir
  5. A Ilha de Páscoa é muito intrigante com todo esse mistério que ronda os Moais. Sou fascinada por história e tenho certeza que iria enlouquecer nesse lugar, na verdade enlouqueci "viajando"no seu post, obrigada por trazer tanta beleza e explicação sobre a Ilha de Páscoa.

    ResponderExcluir
  6. eu estive nessa paraíso mês passado e digo com certeza que foi uma das experiencias mais incríveis da minha vida!! É ou não é maravilhoso???

    ResponderExcluir
  7. Gente, que incrível! É Moai que não acaba mais. Adoro o mistério que envolve o lugar e tenho muita vontade conhecer. Quantos dias na ilha você indica? Seu voo foi stop over para algum outro destino? Bjs

    ResponderExcluir
  8. Sério, sou fascinada com toda essa história dos rapanui e dos modais da ilha de Páscoa! São muitos mistérios a serem revelados e isso desperta muito a minha curiosidade!! Quanto tempo vc ficou e quanto gastou nessa viagem?

    ResponderExcluir
  9. Muito legal o seu post! Sempre fico intrigada quando leio sobre a Ilha de Páscoa e seus moais! Difícil achar um post tão descritivo! Adorei! Quanto tempo na ilha você indica e qual a melhor época para visitar?

    ResponderExcluir
  10. Oie, fiquei curiosa nesse lance de visitar o vulcão somente uma vez. Seria uma vez na vida? ou somente num período curto de tempo?
    Sobre andar de bike pela ilha, o que você acha da ideia?

    ResponderExcluir